Fazer Amizade com as pessoas é uma das melhores coisas do Mundo. E a blogosfera propicia isso. Mas também pode ser muito perigosa; logo, há que ter muito cuidado: somos muitos e convém não esquecer que os homens são todos iguais - mas há uns mais iguais do que os outros...

segunda-feira, 17 de outubro de 2011





VIDAVIVIDA 



Estar pronto





Antunes Ferreira
Os nossos dois primeiros filhos, o Miguel e o Paulo, nasceram em Lisboa, mais precisamente na Clínica de São Miguel do Professor Castro Caldas, na altura uma das melhores, senão mesmo a melhor da capital. O primogénito em 1964, o segundo em 1966. Tudo correu bem, felizmente.

Depois, veio a mobilização para Angola, ao fim de três anos de serviço militar, a política anti-salazarista tinha o seu preço, o ministro do Exército de então chamou-me comunista e perigoso elemento subversivo, a minha ficha da PIDE tinha sido encontrada numa gaveta do ministério, alegadamente esquecida. O general Luz Cunha disse-me as últimas, a sós no gabinete dele. Comunista não era, mas podia ter sido e não me cairiam os parentes na lama. Subversivo, sim. Mas, isso é outra estória. Volto à que interessa.
Tentar a... menina(o)
Em Luanda, já terminada a tropa, decidimos, a Raquel e eu obviamente, tentar pela terceira vez a produção de uma menina. Eu disse, sublinho, tentámos. Toda a família que ali estava, desde os meus sogros e filhos, até à minha mãe e meu irmão foi unânime na previsão: ir ser uma catraia e, inclusive, o nome dela seria Cristina Raquel. Eu duvidava. Chegou uma gaiata que se chamou… Luís Carlos.

Uns dias antes do parto, fomos à clínica do SNECIPA onde nasceria o dito cujo. Explico: era o Sindicato Nacional dos Empregados da Indústria e Comércio da Província de Angola. A Raquel subiu, para explorar o local e eu fiquei no carro com os dois malandros no banco de trás. Naquela altura nem pensar em ecografias, e a dúvida sobre o sexo do (da?) descendente continuava.

O Miguel que, apesar de ser o primeiro, era o mais ingénuo, perguntou-me: Ó pai, onde é que foi a mãe? Estávamos em 1969, as coisas eram o que eram, que mais havia eu de responder? A mãe foi lá acima ao sítio onde vais buscar o mano. Lá estava eu a considerar que seria o. Mudei a conversa e conversámos sobre a creche em que estavam ambos e patati e patatá.
Pai e filhos, bons tempos...

Desceu a Raquel com uma cara fechada, melhor, com umas trombas enormes, ainda que sem marfim. É mauzito?, perguntei. E ela, afogando qualquer mágoa, não é a clínica de São Miguel. Mas, é o que há. Mulher de armas, como sempre, não dava (nem dá) o braço a torcer. Goesa - e está tudo dito. Aparentemente estava encerrado o tema. Mas, não estava.  

O Miguel, na sua santa ingenuidade dos cinco anos: ó mãe, onde está o mano? E o Paulo, convicto, nos seus três anos: tu não vês que ele ainda não estava pronto? Seguimos até casa, reprimindo as gargalhadas. 

69 comentários:

  1. E eu que já estava em falta com este cantinho...

    Também fico às gargalhadas coma inteligência de teu filho!

    Grande abraço amigo Henrique e uma semana primorosa também!

    beijocas,

    Flor

    ResponderEliminar
  2. Histórias de vida contadas com uma naturalidade encantadora.
    Se não fossem esses catraios com as perguntas e respostas inesperadas talvez a história se ficasse apenas pela política...

    ResponderEliminar
  3. Oh! Chefe, o putos têm destas coisas.O Chefe há-de estar lembrado da Maria passear pela Redacção do nosso DNe quando viu uma camarad grávida e lhe perguntou a razão por que estava tão gorda, ou viu a resposta: - Tenho um bebé na barriga. A Maria ficou de cara fechada e assim se manteve até sairmos do DN. Pereguntou então: - O mãe, ela engoliu o miúdo?
    E eles ensinam-nos e ensinanm-nos e ensinam-nos e quando crescem nós continuamos a querer que sejam sempre os nosso bebés e os nosso meninos.
    Eu cá serei sempre a sua (in)subordinada.
    Um xi coração

    ResponderEliminar
  4. FerreirAmigo,
    O mano ainda não estava pronto, hein? :))
    As crianças dizem coisas que nos encantam.
    Eu apontei às meninas, salvo seja.
    Duas.
    Lindas de morrer!!!
    Aquele abraço

    ResponderEliminar
  5. Henriquamigo
    Nisto de previsões do sexo das minhas crianças, acertei sempre, sem ecografias.
    O 1º nasceu em casa, pois estava cheio de pressa para ver o mundo.
    A 2ª, na Ordem do Terço, ali para os lados da praça da Batalha no Porto.
    O Vasco nasceu na Clínica de São Miguel, como os teus mais velhos.
    Desde miúda que, quando pensava em filhos, era sempre a menina que desejava.
    O mais velho é rapaz e, fiquei contente, porque a família toda queria um puto.
    À segunda, venci, foi a menina, linda como a sonhara.
    O Vasco, bastante mais novo do que os irmãos, foi uma prenda para mim.
    Pelo meio, perdi outro que, creio que era uma menina. Não gosto de falar nisso.Ainda hoje, ao fim de quase 40 anos, me dói. Tinham que ser três, foram três. Por acaso, quando pensava nisso em miúda, seriam 12!!!! 6 rapazes, 6 meninas.
    Tava bem arranjadinha!...
    Hoje, estou meio abananada mas, ainda consegui rir-me com a saída do teu Paulo. Esperto, como eu gosto.
    Abrçs dos homens, beijinho para a Raquel e umas alheiras vegetarianas, ká agora. Espero que sejam boas, ainda não provei mas, existem.
    Maria

    ResponderEliminar
  6. Olá amigo, que história mais gostosa, a da nossa vida! Muito legal, amei! E que estejam todos bem, para nas horas vagas, poderem rir mais e mais ... bjks e boa semana, CON

    ResponderEliminar
  7. As crianças daí como as daquí, são uma mistura de ingenuidade, esperteza e curiosidades,que as fazem pensar coisas nunca dantes pensadas por nós adultos.

    ResponderEliminar
  8. Henriquamigo
    Ainda cá voltei, porque estive a ver a foto em grande e, vi que os putos são lindos como a mãe, com o ar malandreco do pai.
    +1 beijo
    Maria

    ResponderEliminar
  9. Catarinamiga

    Eu bem disse que este post foi o que me deu maior prazer ao escrevê-lo. Não sou saudosista; mas, recordar é viver

    Qjs

    ResponderEliminar
  10. Floramiga

    Bué da fixe esta tua volta! Fazias cá muita falta e é sempre com enorme alegria que vejo retornar quem quer que seja!

    Qjs

    ResponderEliminar
  11. Coelhamigo (o outro, nem pó!!!)

    Tens carradas de razão. Estou totalmente de acordo contigo. O pior éke a política...

    Volta mais vezes, Amigo

    Abç

    ResponderEliminar
  12. Guidamiga

    Poizé... A Maria queria saber se a mãe engolira o bebé. Olha se ela quisesse saber como ele saía...

    Outra: a Raquel deu o primeiro banho ao Luís Carlos, com os irmãos a assistir. O Miguel para o Paulo: olha, ele tem um pirolito igual ao nosso. Se fosse a Cristina Raquel... era mais difícil

    3qjs

    ResponderEliminar
  13. Coimbramigo

    Duas lindas meninas? 恭喜!Ou seja, noroc!, o mesmo que ¡Felicidades! em romenozês puríssimo.

    As crianças são o melhor do Mundo. Mas, é uma porra tantas a sofrer por ele fora...

    Abç

    ResponderEliminar
  14. Isabelamiga

    Bem vinda! Saudades de África? Gostei de lá ter vivido, mas... não tenho saudades; de nada. Apenas recordações, como estas...

    Qjs

    ResponderEliminar
  15. Mariamiga

    É assim mesmo: cada um de nós tem estórias de filhotes que são um espantooo...

    E dos netos, nem se fala. Um picaninho episódio. No tasco ao pé da minha casa, a dona, Sónia; eu estava almoçando com a quadrilha toda, ou seja, os cinco. A Raquel saíra com amigas.


    Hoje, tenho um franguinho frito que está delicioso; ontem o João e o Rodrigo comeram e gostaram muito. Vou fazer.

    Avôôô... - o Xavier, eu prefiro um bitoque com ovo estrealdo. Todos: nós também.

    Menina Sónia, desculpe mas eles querem bitoques... Não há problema, faço.

    E lá na ponta da mesa, o Vicente: ganda sota, se a avó cá 'stivesse, não havia bitoques pra ninguém!!!!

    Resumindo: a Raquel é muito mais disciplinadora, educadora e ordenadora do que eu...

    3abçs & qjs mozarella

    ResponderEliminar
  16. Çãoamiga

    Estou felicíssimo em ter-te por cá com maior frequência. E viva a criançada! Viva!

    Qjs

    ResponderEliminar
  17. Gersonamigo

    Todos nós fomos crianças e lembramo-nos do que fazíamos e brincávamos e dizíamos. Talvez por isso estejamos sempre dispostos a aprender com elas aquilo que nós os adultos esquecemos...

    Abç

    ResponderEliminar
  18. Mariamiga

    Lindos e inteligentes como a mãe, porque o pai é burro e etc...

    + 3abçs & qjs de Alpalhão

    ResponderEliminar
  19. Agora deu-lhe para o choradinho, com os filhinhos e netinhos e aplaudido pelos do costume. Mas o que é que nós temos com essas mariquices? Vê-se que está cada vez mais velho.

    ResponderEliminar
  20. Caro amigo Ferreira

    Recordações de Luanda são boas. Hoje a vida é mais difícil, mas tenho esperança que tudo vai melhorar. Saúde e boa disposição. Caté

    Kandandos

    ResponderEliminar
  21. AMIGOAntunesFerreira, sorri comovida, com os olhos a ficarem embaciados , porque senti a sua forma de sentir quando escreveu o "post que pariu" ( de facto o melhor no que toca à ternura, de tudo quanto é o principio do caminho; o inicio das nossas vidas. E o futuro preocupa-nos a todos - a uns mais do que a outros. Por causa deste seu textículo , lembrei-de do primeiro dos meus dois filhos, ao chegar à maternidade,para conhecer a irmã recém-nascida". A mana tinha um chocolate na mãozinha, " - tinha trazido "lá do sítio de onde veio!Uma prenda para o irmão... Até hoje o meu filho Pedro, lembra esse momento como algo mágico e já lá vão 23 anos!
    Obrigada por este pedaço de recordação ternurenta!!
    Beijinhos para o senhor e Dona Raquel

    ResponderEliminar
  22. Arrobamiga

    Prontos (sem s), fala-se na criançada e as palavras são realmente como as cerejas, vêm umas atrás das outras.

    Recordamos as cenas queridas com os entes queridos. E também uns quantos arranhões, esfoladelas de joelhos e até partidelas de cabeças.
    Ó menino, lembras-te de quando eu caí da figueira quando tinha dez aninhos?

    Estas pequenas coisas, pequenas mas sentidas, ajudam-nos a encontrar a felicidade.

    Bjs da Raquel e qjs para tu

    ResponderEliminar
  23. Caríssimo Henrique

    Ainda não tenho histórias dessas para contar, mas espero vir a tê-las, pois adoro crianças. Esta é como sempre divertida e encantadora

    Bjcas

    ResponderEliminar
  24. :) Uma história de família muito bonita :)

    ResponderEliminar
  25. Boa noite amiginhos do Henrique!!!!
    Não sou advogado d'ele!!!
    Mas por favor!!!
    Nunca ouviram, nem leram uma
    História da vida!!!
    Mas peço-lhes... por favor!!!!
    Deixem o Henrique, continuar a História!!!
    Se alguns se riem???
    Quando ele chegar a meio??
    Já estarão todos a chorar!!!
    Deixem ele continuar a História da viva d'ele!!!
    CONTINUA HENRIQUE!!!
    QUE ESTE MUNDO???
    TEM QUE SABER A VERDADE SOBRE ANGOLA!!!!
    E... NO CONTINENTE TAMBÉM!!!!
    Quanto ao Continente???
    Não é o Belmiro do Azevedo!!!
    Refiro-me a PORTUGAL & COLÓNIAS!!!
    VÁ!!! HENRIQUE, CONTINUA A HISTÓRIA!!!
    QUE MUITA GENTE, QUE SE QUEIXA AGORA QUE LHE TIRARAM BENEFÍCIOS???
    NEM IMAGINAM, QUE NAQUELE TEMPO???
    NEM PENSAR!!!! NEM SONHÁVAMOS QUE HOJE HAVERIAM E QUE TANTOS COM TANTO, AINDA SE QUEIXAM!!!!
    CONTINUA HENRIQUE!!!!
    FORÇA!!!!
    JÁ NÃO É COM AS CANETAS DE TINTA PERMANENTE. QUE TANTO GOSTAVAS E QUE COLECCIONAVAS, MAS HOJE??
    AS TECLAS DO COMPUTAS, NÃO SERÁ A MESMA COISA É CERTO, PODE CONTAR HISTÓRIAS VERDADEIRAS, REAIS, VIVIDAS E QUE NUNCA SE PODERÃO CAIR NO ESQUECIMENTO DESTE POVO PORTUGUÊS!!!
    Recado aos Verdadeiros Amigos do Henrique: FAÇAM UM ABAIXO-ASSINADO AO HENRIQUE PARA CONTAR AS HISTÓRIAS DA NOSSA ANTIGA COLÓNIA!!!
    ANGOLA!!!!
    QUE ELE TEM TANTO PARA CONTAR!!!
    MAS... COM TODAS AS VÍRGULAS, ACENTOS, PONTOS E NUNCA PONTOS FINAIS!!!
    Abraço Henrique e até amanhã!!!
    Já agora, vai ao Gmail!!!!

    ResponderEliminar
  26. AMIGUINHOS DO HENRIQUE!!!
    BOA NOITE!!!!
    E FAÇAM TAMBÉM UM ABAIXO-ASSINADO
    PARA ELE CONTAR AS HISTÓRIAS
    DO PÓS 25 DE ABRIL, TAMBÉM!!!!
    VÃO LER E NÃO SE ARREPENDEM!!!!
    A HISTÓRIA É SEMPRE PARA SE CONTAR
    A TODOS: VELHOS, NOVOS, USADOS, TEIMOSOS, INCRÉDULOS, FANÁTICOS, CRENTES, NÃO CRENTES, VERMELHOS, VERDES, AMARELOS, AZUIS,ETC. RESUMINDO: PARA LÁ DAS CORES DO ARCO-ÍRIS!!!!
    Abraços para todos os Amigos do Henrique!!!

    ResponderEliminar
  27. Amigo Henrique;

    São histórias como esta que, apesar de parecerem pueris para alguns, revelam o quanto temos (ainda) de humanidade dentro de nós.

    Tens razão ao afirmar que é uma das melhores histórias já contadas por ti.

    Já agora assino o "abaixo" proposto pelo KIM. Tens mesmo que contar as coisas vividas. O "Morte na Picada" não chegou por cá.

    Abraço, vovô... (hihihih... também o sou!...)

    ResponderEliminar
  28. Sr. Feliz

    Como dizia o nosso Solnado, faça o favor de ser... Félix.

    Sem mais

    ResponderEliminar
  29. Adãoamigo

    Tirando os dois anos de tropa, umas vezes de camuflado, o resto passou-se bem e os miúdos foram crescendo. E os mariscos no Kakuako e as Cucas na Ilha e as Nocais e, até as Ekas, a loura tropical e o os cacussos e o resto, ajudaram a passar o tempo. A maldita guerra éke...

    Kandandos

    ResponderEliminar
  30. Otíliamiga

    Há-de chegar a tua vez, não te amofines. Uma coisa de cada vez, ou como dizem o futebolistas, passo a passo...

    Qjs

    ResponderEliminar
  31. Gábiamiga

    Reencontraste o caminho para a nossa Travessa. Do Porto, chegaste bem. Usaste o GPS?

    Muito obrigado

    Qjs

    ResponderEliminar
  32. Afilhadamigo I

    Um destes dias, não sei bem quando, tentarei dar umas pinceladas sobre esse passado que vivemos juntos.

    E sobre Angola. Mas, não te esqueças que já publiquei o Morte na Picada. Mas contarei outras mais, que aquele País é tão grande que dá para tudo...

    Qjs e abç

    ResponderEliminar
  33. Afilhadamigo

    Acalma-te. Da colecção das canetas (as de tinta permanente e umas quantas esferográficas boas) que vai pelas quinhentas e tantas, em devido tempo darei conta. E se a maltamiga quiser ir mandando uns exemplares, agradeço, kagora ka krise, comprar, nem pó.

    Sobre as restantes aventuras (verdadeiras) dá tempo ao tempo. Assim, estrangulas-me...

    + qjs & abç

    ResponderEliminar
  34. Teimosamigo

    Outro para ti e espero que um dia destes me dês a tua verdadeira identidade. Mula, tenho a certeza, não és...

    Abç

    ResponderEliminar
  35. Clóvisamigo

    Eu sei que o Morte na Picada não chegou ao Brasil, exceptuando uns poucos exemplares que eu próprio enviei para uns Amigos. O Pedro Luso de Carvalho e o Fonseca Filho ainda fizeram diligências para uma edição brasileira. Mas, infelizmente, não deram em nada...

    No entanto, o editor faliu e não me pagou... Ando a tentar recuperar os livros que sei estarem em armazém selado pelo tribunal por mor do processo da falência. Debalde.

    E como já disse a esse malandro do meu afilhado de casamento, um dia destes dá-me na veneta e lá vai. Entretanto rogo a paciência da gentamiga, tá?

    Ainda bem que fazes parte do grupo dos vovôs. É um estatuto muito especial.

    Abç

    Abç

    ResponderEliminar
  36. È bom quando as recordações do passado nos fazem rir...

    ResponderEliminar
  37. O nosso José Quintiliano esqueceu-se, uma vez mais da maneira de botar comentários no quadrinho (versão dele...)

    Por isso, aqui fica o que enviou por imeile
    :

    Bonito recordar do nascimento dos pimpolhos, instantes tão importantes para o então novo casal, e que mesmo sem conseguirem a projetada menina, compensada mais tarde pelas netas, formou uma das mais belas e unidas famílias de Portugal, destacando a sapiência do menor, ao constatar a volta da mamãe de mãos abanando, como diriam no Brasil. Bela história, escrita com o coração pelo menestrel da Travessa.

    abs Fonseca


    Vai aprender, malandro! Cafegeste fajuto!!!!!!...

    ResponderEliminar
  38. Como sempre, o amigo tem boas estórias para contar. Parabéns por manter vossa memória afiada pela boa escrita. Te convido ler um pouquinho de teu Portugal no texto de minha autoria, "O Cego do Maio". Um grande beijo em teu coração lusitano.

    ResponderEliminar
  39. Amigo Henrique

    Que história bonita e que pai babado. Os nossos filhos são e serão sempre os nossos filhinhos. Crescem, mas ficam, graças a Deus.

    Fico na lista de espera para mais episódios da sua vida que foi é e será muito rica.

    Beijinho amigo

    ResponderEliminar
  40. Muito esperto o teu filho,Henrique amigo.Na fazenda onde eu criei os meus,os empregados chamavam crianças assim de "poetas".Não tinham a menor noção do significado da palavra...

    Quanto aos filhos também tentei conseguir uma "minina muié",por três vezes e só deu "minino homi".

    Bjsssss e mineiros queijos,
    Leninha

    ResponderEliminar
  41. DELICIOSAMENTE contada, a proeza da Goesa e dos Portugas! Valeu à pena, deixar um pouco o meu Goês e vir aqui,nadando, ler essa OBRA PRIMA de um PAISÃO!!!!
    Gosto, por que gosto, disso!

    Xeros e xeros, no quinteto!

    ResponderEliminar
  42. Sandramigo

    Fazer estórias é tentar fazer História; mas, só os iluminados ou os génios o conseguem. Vou ver essa de O Cego de Maio e depois te digo o que achei.

    Beijos, nem mesmo no coração, dou a Senhoras, meninas, filhos, noras, netos e neta, cunhadas e primas, Amigas e já chega. Mas, agradeço-te o teu

    Abç

    ResponderEliminar
  43. Albertinamiga

    Folgo em ver-te por cá e fico muito contente pelas palavras que me diriges.
    A felicidade reside, sobretudo, nas coisas pequenas que, para nós, são grandes. A família e os Amigos também contam - e de que maneira

    Qjs

    ResponderEliminar
  44. Leninhamiga

    Homis trouxeram-nos toda a felicidade, repito o que atrás disse, toda a felicidade do Mundo. E continuam a trazer, porque são excelentes filhos sob todos os aspectos. E deram-nos três filhas, pois não são noras.

    Quatro netos e finalmente uma neta. Vê lá tu: o meu pai e um irmão. Meu tio: dois filhos; meus pais: três filhos. A Raquel e eu: três filhos. O Miguel: dois filhos. O Luís Carlos não tem filhos. Já o Paulo: dois filhos. E no final, a minha Madalena. Hossana!

    Qjs

    PS - Já recebeste a lembrançazita?

    ResponderEliminar
  45. Lucinhamiga

    Muito obrigado, mas este testículo com x nem chega a ser uma obra tia em segundo grau, quanto mais prima.

    E a propósito de prima:

    Esta noite eu só sonhei
    com a minha prima Teresa.
    De manhã, quando acordei
    inda tinha a... vela acesa


    E deixa-te de maus "pinçamentos"...

    Abçs, xeros da Kel e qjs pata tu

    ResponderEliminar
  46. A lógica infantil...Às vezes mais lógica que a dos "grandes", mas sempre uma maravilha!

    Um abraço

    ResponderEliminar
  47. ah ah ah
    As crianças são portadoras de uma ingenuidade prodigiosa.
    Eu já sabia desta sua história. O amigo já me havia contado lá no meu blogue por acasião de uma história minha algo semelhante! Uma delicia! Está muito bem com os seus filhotes nessa foto!
    Parabéns :)
    Abraço

    ResponderEliminar
  48. Amei a histórias e as várias tentativas! Eu, por minha vez, tentei um menino, mas depois da terceira menina, resolvi aguardar os netos que por certo ainda virão!
    A foto com os quatro garbosos está ma-ra-vi-lho-sa!
    Bjs para ti e para Raquel, grande heroína a aturar a todos!

    ResponderEliminar
  49. Interessante essa história, me fez rir. kkkk
    Bom dia!

    ResponderEliminar
  50. Que história de família tão bonita!

    Uma goesa sabe como reagir e mostrar a sua elegância.
    Adorei Goa e as mulheres que por lá encontrei.
    Grata pela visita.
    Beijinhos! :)

    ResponderEliminar
  51. Émeluamiga

    A lógica dos miúdos é muito melhor do que a de alguns adultos. Aliás, do que de quase todos...

    Qjs

    ResponderEliminar
  52. Céliamiga

    Desculpa-me a repetição, mas... os anos não perdoam. Como já deves ter entendido, adoro crianças, que são o melhor que o Mundo tem. E dos meus filhos, nem quero falar...

    Qjs

    ResponderEliminar
  53. Gisalindamiga

    Poizé, uma questão de pontaria... da qual não falo nem que me encostem uma pistola a uma das frontes.

    Quanto ao resto, como sempre, agradeço-te. Mas não era preciso uma tamanha publicidade à Raquel... rsrsrs

    Qjs, muito e abç para o santo que vos atura, bendito seja

    ResponderEliminar
  54. Riamigo & Cidade Maravilhosa, S.A.

    Estás por cá, riste-te e isso éoke interessa. Volta logo

    Abç

    ResponderEliminar
  55. Aninhasamiga

    Ora cá temos o SNM, ou seja, o Sindicato Nacional do Mulherio na sua pujança total...

    A foto é dos quatro pilinhas e as felicitações vão para a Goesa de má raça. O Mundo é muito cruel, éoké lol lol lol

    Qjs

    ResponderEliminar
  56. Henrique
    Será que entendi bem. Voces e Raquel tem dois meninos e uma menina ou tres meninos?
    Um abraço cheio de saudades pois estava em casa no interior de MG
    com amizade de Monica

    ResponderEliminar
  57. boas recordações, as ligadas ao nascimento dos filhos. Esses dias ficam-nos as imagens fortes na memoria. Tambem as tenho. A primeira veio nascer a lisboa, estavamos em africa mas nao havia qualquer segurança em nascer lá, o hospital em bissau mal funcionava. O outro nasceu tambem em lisboa, ja tinhamos voltado.

    O dialogo entre o miguel e o paulo, um perguntando( mas foi o pai que deu a informação que provocou a pergunta, onde está ele?)o outro resolvendo de maneira pratica o problema e respondendo.

    Coisas da vida, o general luz cunha, a gaveta com os papeis 2esquecidos", luanda, o paulo, o miguel,a raquel visitando a maternidade do luis carlos, o carro em baixo à espera.
    Sim, amigo henrique, é bom recordar, lendo o teu post tambem eu recordei.
    Abraço, pb

    ResponderEliminar
  58. Mônicamiga

    Três filhos, três noras (a que prefiro chamar filhas)quatro netos e uma neta.

    Já tinha dado pela tua falta. E agora vejo que andaste pelo sertão... Bem vinda.

    Qjs

    ResponderEliminar
  59. Patríciamigo

    O povo diz, na sua infatigável e milenar sabedoria que recordar é viver - e eu concordo; aliás, quem seria eu para discordar?

    Hoje, o Miguel é o director administrativo da AVIS rent-a-car, o Paulo é o director da Aldeia de Santa Isabel, da S. C. da Misericórdia, em Albarraque e o Luís Carlos é o director jurídico e de relações humanas da Allianz. Por méritos próprios, nunca meti cunhas para isso.

    O que quer dizer que são tipos bué da fixes, organizados, com as respectivas famílias também organizadas e, sobretudo, felizes - o que nos faz também felizes. Saem à mãe, que o pai é o que se sabe: velho e burro...

    Revemos-nos igualmente nos quatro netos e na neta. Todos os sábados almoçamos juntos na nossa casa. A Raquel cozinha que se desunha, porque somos quase sempre 15 ou 16 bicos, com uns adidos...

    Luanda, a tropa, o fdp do general, isso tudo já passou. O que conta é agora; o que me preocupa é o futuro dos netos. Com esta criminosa autoridade, ó lá, austeridade, que será que lhes vai cair em cima?

    E com o andar da carruagem - onde vão (vamos) parar? É uma ganda porra!!!!!!

    Abç

    PS - Já há algum tempo que não vinhas por cá? Aconteceu alguma coisa? Saúde? Disposição? Oxalá seja eu apenas saudoso das tuas visitas...

    ResponderEliminar
  60. dá gosto ter filhos fixes, dá-me gosto ouvir te falar sobre os teus, e aí há a mão dos pais, é mesmo assim. E tambem netos, que dá gosto ver crescer, já com outros olhos, diferentes dos de pais. Os meus tambem se têm comportado bem e produziram 4 fantasticos netos.
    A minha ausencia, não só da travessa mas tambem do 2 ou 3 coisas e mais um sitio ou outro deve-se a uma situação que já se resolveu,com a ajuda de galenos.
    Mas não foi bem ausencia, foi antes uma diminuição de intensidadem ou de frequencia.
    Abço, pb

    ResponderEliminar
  61. Patríciamigo

    Estou mais descansado. Voltas em força e frontal como sempre. Parabéns.

    E quando podemos trocar opiniões destas nem a fdp da crise conta para o presente, como atrás disse. Pobres netos: o problema futuro é deles, infelizmente. Estou a repetir-me; deve ser a pdi...

    Abç

    ResponderEliminar
  62. Henriquamigo
    Maravilhosa essa sua história!! Os nossos filhos dão-nos as histórias mais espectaculares...
    Qjs

    ResponderEliminar
  63. Henrique,
    Adivinha-se orgulho nos filhotes, sente-se o mesmo orgulho, talvez mais açucarado, transposto para os netos.
    Pois é, amigo, a vida não para, e estas coisas é que nos vão dizendo que valeu a pena. pelos vistos, tu sempre estiveste pronto. :)

    Abraço

    ResponderEliminar